Livros-objeto

20 02 2014

17 de fevereiro, das 15H00 às 18H30, Martinho Torres, o escritor, o criador, o autor e o editor esteve na nossa escola, para nos apresentar a sua obra. Entrou de rompante na Biblioteca acompanhado pelo Rui Grazina da Divisão de Educação da CMS. Às costas trazia a sua guitarra, nas mãos, uma caixa com exemplares dos seus livros e dois painéis roll-up que identificavam a editora, Neoma Produções, Livros com Arte.

Richard Towers, pseudónimo de Martinho Torres, é considerado como uma das cinco melhores ideias nacionais no campo da inovação, o que o distinguiu como um dos mil portugueses mais promissores e engenhosos dos nossos dias.

Confessou-nos que desde muito cedo, sentiu a atração pelos livros e se deixou hipnotizar pela magia da leitura.  “Somos aquilo que lemos”, afirma.

Já foi professor de Português e Francês, mas outros valores mais altos se alevantaram e trocou a arte de ensinar pela arte da escrita e da música.

Pela Biblioteca passaram as turmas do 7.º D, 8.º D, 8.º E e 8.º F, que se deixaram seduzir pelas palavras do escritor e deixaram a admiração estampar-se nos seus rostos. Livros-objeto? Nunca tinham visto nem ouvido falar.

Acompanhado da sua guitarra, o escritor veio divulgar os seus três livros-objeto. Começou por se apresentar, dando-se a conhecer. Foi professor de Português e de Francês, mas a escrita é a sua atual atividade. Criou a sua própria editora, a Neoma Produções que suporta o seu projeto inovador. Com três livros-objeto publicados, o escritor contou que adotou um pseudónimo inglês, como rampa de lançamento no mercado europeu, levando o nome de Portugal além-fronteiras. Além da Europa, Martinho Torres está a negociar a sua comercialização quer no Brasil quer nos Estados Unidos.

O que são os livros-objeto? São livros incorporados num objeto do nosso quotidiano como um relógio, um espelho e um tabuleiro de xadrez. A singularidade deste tipo de livro transpõe o simples ato de ler, oferecendo ao leitor a oportunidade de o utilizar noutras situações do dia-a-dia, podendo pendurar o seu livro-relógio na parede da sala ou jogar uma partida de xadrez com os seus amigos no livro-tabuleiro. A história de cada livro inspira-se no próprio objeto que o suporta.

Dedilhando a sua guitarra e com a colaboração de alguns alunos para a leitura de pequenos excertos, Richard Towers apresentou cada um dos seus livros, fascinando aqueles que o escutavam.

A todos deixou uma mensagem inspiradora: acreditar que tudo é possível e, por muitas que possam ser as desilusões e os obstáculos que encontremos, existirão sempre outros caminhos que nos permitirão chegar ao topo, alcançar o nosso fim. Foi exatamente o que ele fez, quando ao se aperceber da dificuldade que sentia para concretizar a sua ideia em Portugal, procurou fazê-lo no estrangeiro, na Alemanha, onde foi recebido de braços abertos e obteve o apoio necessário à construção do seu sonho e do sucesso.

Os alunos mostraram-se agradados, surpreendidos por ver o nosso reflexo num livro cuja capa tem um espelho integrado ou por ler uma obra que tem um relógio funcional. Martinho soube, olhar para onde nunca ninguém tinha olhado, criar algo que nunca ninguém antes criara. Foi esse ver mais além e essa capacidade de persistência que o levaram a concretizar o seu sonho, um sonho que partilhou agradavelmente connosco na biblioteca da nossa escola.

As turmas tiveram, ainda, a possibilidade de adquirir um livro autografado pelo próprio Richard Towers.

O convite para a Semana da Leitura do próximo ano está feito. Falta apenas agendar as sessões com o Richard Towers.

Para melhor conheceres o escritor e o seu projeto,  vê o vídeo da responsabilidade do Canal THE NEXT BIG IDEA.

Anúncios




Livros e surrealismo

7 04 2013

Os livros de Alireza Darvish são o ponto de partida para criar um mundo surrealista em que os leitores e os livros sobrevivem em distintas paisagens e ambientes.

Vodpod videos no longer available.





Ler o mar na Semana da Leitura

3 03 2013

Diapositivo1

“Ler o mar” foi o mote que orientou a dinâmica que a BECRE deu à semana dedicada à leitura em vários suportes e de textos de natureza diversa. De uma janela virada para o mar, a BECRE convidou todas as turmas do 2.º e 3.º ciclos para tomar parte nas atividades que preparou. Partilharam-se e divulgaram-se leituras feitas, divulgaram-se crónicas escritas, desvendaram-se mistérios dos oceanos no mergulho nas águas oceânicas que se propôs. Tivemos entre nós o Eng.º Nicolau Veríssimo da marinha mercante que nos falou sobre a vida no mar; o professor Rafael Gomes que nos despertou para a obra poética e narrativa e a sua ligação ao mar de grandes autores deste jardim à beira-mar plantado; a professora Catarina Lopes que nos surpreendeu com as atividades de divulgação científica e de escrita criativa/expressão plástica que dinamizou “Uma pérola para o cavalo-marinho” na EB 2, 3 de D. Pedro IV e “O mistério das medusas” na EB1/JI de Massamá 1; a Dr.ª Marta Leite, nossa parceira habitual nas semanas da leitura dos últimos 4 anos que cativou a nossa atenção com a força da palavra e da leitura, com o humor e com a partilha de aspetos curiosos do dia-a-dia dos profissionais de delfinários e de outros parques temáticos oceanográficos; a professora Maria Henriques da ES Miguel Torga que desafiou para a escrita a turma F do 7.º ano; a professora Rosa Maria tirou partido do slogan “Há mar e mar, há ler e rimar”, maravilhou-nos com a leitura das “Rimas do Romeu” e propôs-nos um momento de escrita; a Voluntária da Leitura, Palmira Simões, jornalista de profissão, conduziu-nos pelas veredas do texto jornalístico e desafiou as turmas à participação no Concurso “Eu escrevo” com a redacção de uma notícia e/ou reportagem jornalística sobre o mar; a professora Odete Almeida que nos levou a mergulhar nos oceanos e a descobrir os exércitos de criaturas fantásticas que neles habitam.

Vodpod videos no longer available.

Foi uma semana rica em termos de divulgação científica, em termos de partilha de conhecimentos, intensamente virada para o mar e para a leitura em todas as suas vertentes. Juntos lemos poruqe LER é

cool





Projeto Newton – o 2.º módulo

16 12 2012

6 de dezembro – A biodiversidade da manta morta

capa livro
A chuva caía intensamente. Na Biblioteca, os sons da natureza ecoavam no ar. Como cenário, a gruta da família de minhocas – o pai, a mãe e o filho de boné na cabeça – sentados à mesa para a degustação do seu alimento preferido: terra, só terra e apenas terra. Fresquinha!
Depois da leitura de excertos da deliciosa obra de Gary Larson “Há um cabelo na minha terra!”, as monitoras do Centro Ciência Viva falaram de taxonomia. Hoje o assunto é a classificação dos seres vivos que conseguirmos encontrar na manta morta, cuidadosamente recolhida pela D. Nazaré.
À explicação e ao exercício de aplicação seguiu-se a recolha dos seres vivos na manta morta colocada em cada um dos cinco pratos. De pinça e lupa nas mãos, a terra foi revolvida e minuciosamente inspeccionada. Nas caixas de Petri guardavam-se as preciosidades que se capturavam. Observaram-se as espécies ao microscópio e preencheram-se as respectivas fichas de registo com indicação do filo e da classe a que pertenciam os seres vivos recolhidos e a indicação das características físicas específicas.
O nojo, o horror espalhou-se nalguns rostos. Aos sons da natureza, sobrepunham-se as vozes das crianças: “Aiiii, uma aranha!” “Que nojo!” “Cheira mal!”
Junto ao microscópio, a conversa era outra: “Eu também quero ver!”, “Ah, que giro!”. “Olha um bicho-de-conta!” “E este escaravelho!”
Manta morta … tão cheia de vida!

Vodpod videos no longer available.




POPIGAMI Where POP-UP meets ORIGAMI

17 08 2012

Video do incrível livro pop-up “POPIGAMI When Everyday Paper POPS! Where POP-UP meets ORIGAMI” (POPIGAMI ¡Quando o papel quotidiano se torna PopUp! Onde o Pop-Up se encontra com o Origami).

Uma verdadeira obra de arte! Queres ver esta maravilha? Assiste ao vídeo com atenção:

Editado pela Intervisual Books, em 2007, este livro conta com as ilustrações de Francesca Diaz e os pop-ups de James Diaz.
É um livro pop-up em que o origami se une aos pop-ups e a engenharia de papel à arte e à imaginação. A história é contada por criaturas feitas em papel de texturas e qualidade do nosso quotidiano: pombas em papel de jornal voam por entre folhas de notícias anunciando a paz; barcos de papel de passaporte convidam-nos para uma viagem à volta do mundo que emerge de um mapa; pássaros de origami feitos de papel metalizado brilhante, invólucros de chocolate, voam entre espirais e folhas outonais; um par de dinossauros feitos em papel artístico erguem-se entre tesouras e materiais artísticos cuidando dos ovos que têm no seu ninho; patos em papel moeda nadam no café derramado sobre uma folha do plano mensal de atividades por entre clips, faturas de despesas, elásticos e outros papéis de escritório; um par de simpáticos cães de papel de embrulho ladram alegremente fora de casa e um dragão selvagem aparece em 3D no menu do restaurante de comida chinesa: uma garra, um corpo com picos e escamas, uma cabeça feita com um recipiente descartável para sopa de massa em vez de fogo, longas tiras de biscoitos da sorte ou boa fortuna.

 





Não era uma vez

16 08 2012

Uma história para pensar!





A menina e o pássaro encantado

23 07 2012

O vídeo que te apresentamos mostra-nos o livro “A menina e o pássaro encantado” de Rubem Alves, com ilustrações e mecanismos pop-up de Rafael Bastos.

Um bonito livro pop-up, em português, sobre a liberdade, os sonhos, as perdas e a nostalgia.

Para admirares as ilustrações e os pop-ups com mais pormenor e mais tempo, deixamos-te aqui também uma sequência de imagens das páginas do livro.