Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher

25 01 2016

Entre nós a celebração desta data aconteceu apenas no dia 25 de janeiro. Foram realizadas duas sessões dinamizadas por uma técnica da APAV, que, em conversa informal com os alunos, que o fenómeno da violência doméstica contra as mulheres abrange vítimas de todas as condições e estratos sociais e económicos; e que os seus agressores também são de diferentes condições e estratos sociais e económicos. Participaram na atividade as turmas do 7º B e do8ºE.

violência_doméstica

violência_doméstica_1

Anúncios




Suporte básico de vida – formação

27 04 2014

index

No passado dia 2 de abril de 2014, o 9ºA teve uma formação sobre Suporte Básico de Vida (SBV) dinamizada pelo médico anestesista Dr. Emanuel Almeida, um antigo aluno desta escola. Com ele aprendemos o algoritmo do SBV, ou seja, o conjunto dos procedimentos a adotar na reanimação de uma vítima, estatisticamente comprovadas de vital importância para o resultado final.

Assim, se estiveres ou passares por perto de alguém que esteja cqueixoaído no chão, procura averiguar o que se passou e depois de analisadas as condições de segurança, verificar se a vítima está ou não em paragem cardiorrespiratória. Permeabiliza a via aérea: coloca a tua mão sobre a testa da vítima, levanta-lhe o queixo e faz-lhe a hiperextensão do pescoço. Aproxima o teu ouvido do rosto da vítima para que possas sentir a sua respiração e conta até 10.

pls

Se a vítima respirar e estiver consciente coloca-a em PLS (posição lateral de segurança) e chama o 112.

 

 Se a vítima estiver inconsciente e não respirar, pede ajuda no local. Enquanto um inicia as manobras de reanimação, o outro deve ligar para o 112 e participar a situação. Identifica sempre com exatidão o local onde a vítima se encontra e informa se sabes ou não fazer o suporte básico de vida. Certifica-te de que a tua mensagem foi compreendida e aguarda que te mandem desligar.

algoritmoDe acordo com o algoritmo SBV deves ter sempre em mente a regra – 30:2 – 30 compressões torácicas para 2 insuflações. As compressões devem ser feitas com a parte inferior da mão sobre o esterno da vítima, e a outra mão por cima com os dedos entrelaçados. A preocupação deve ser sempre a de fazer compressões eficazes e não com a possibilidade de se partirem costelas à vítima. Findas as 30 compressões, fazer um insuflação boca a boca (caso seja possível), mantendo a via aérea permeabilizada, tapando o nariz da vítima e selando os seus lábios com os teus. Novo conjunto de 30 compressões; nova insuflação. Se tiveres uma máscara de reanimação, deves usá-la para as insuflações. Se tiveres alguém a ajudar, troca de posição a cada dois minutos, para que possas descansar um pouco. Se não quiseres fazer as insuflações, aumenta o n.º de compressões, à velocidade de 100 por minuto.

Só podes parar de fazer o SBV quando a exaustão te dominar ou a vítima mostrar sinais de consciência ou a ajuda dos profissionais de saúde chegar.

O SBV pode e deve fazer-se também em crianças; se de tenra idade deves apenas moderar a força e reduzir a sua profundidade. Segundo nos contou o médico, para fazer o SBV em bebés, o reanimador pode usar apenas os polegares, porque a sua caixa torácica é ainda pequenina.

Mas atenção, o SBV permite apenas ganhar tempo. Cabe aos profissionais de saúde prosseguir com o suporte avançado de vida.

Martim Rosado, nº 19, 9º A

just

Click to play this Smilebox slideshow





Crianças online: aprenda a protegê-las

9 02 2014

internet

A maioria das crianças e dos jovens entre os dez e os 15 anos usa a internet regularmente e sem o controlo dos pais. A principal utilização é para pesquisa de informação escolar. Mas as redes sociais, chats e blogues aparecem logo a seguir.

Aprenda a protegê-los com estas dez dicas.
1. Instalar um software de controlo parental, que bloqueie páginas por palavras-chave e impeça o acesso a conteúdos inapropriados, tal como material sexualmente explícito;

2. Bloquear publicidade pop-up e a instalação de certos tipos de ficheiros;

3. Ensinar regras de segurança, tais como: não ir ao encontro de alguém que se conheceu online sozinhos e em lugares pouco frequentados e não utilizar o nome completo em redes sociais;

4. Usar um programa de geração e armazenamento de palavras-chave, para evita a anotação das diversas palavras-chave (não convém usar a mesma em vários sites);

5. Colocar o computador num espaço público da casa, como a sala, para perceber a utilização que as crianças estão a fazer da Internet;

6. Supervisionar e acompanhar as crianças nas redes sociais, principalmente se não tiverem fortes dispositivos de proteção;

7. Se houver motivo de preocupação, acompanhar o histórico para perceber que tipo de utilização foi feita pela criança;

8. Estabelecer regras e limites razoáveis acerca da utilização do computador e da Internet (exemplo: tempo de utilização);

9. Manter uma boa comunicação com as crianças, para que estas possam pedir ajuda sempre que tenham dúvidas ou se sintam desconfortáveis.

in Dinheiro Vivo, 8fev2012





Saiba como gerir a vida do seu filho na internet

9 02 2014

To match feature PRIVACY-CHINA 

Mais de 90% dos jovens portugueses entre os dez e os 15 anos utilizam a internet com regularidade, quase todos a partir de casa e, boa parte, no isolamento do quarto. Precisamente o sítio onde os pais se ligam menos vezes. O resultado? Menor controlo parental e mais riscos potenciais para as crianças. O número de acessos à internet pelas crianças e jovens em casa duplicou desde 2005, o que não deu aos pais tempo suficiente para se adaptarem.

Esta “cultura do quarto”, identificada no novo estudo EU Kids Online Portugal, acentua alguns dos riscos da utilização não supervisionada da internet. Por exemplo, 74% dos jovens questionados entre os nove e os 16 anos admitiram já ter visto imagens de cariz sexual na internet, sendo que 39% referiram que esta exposição decorreu de pop ups acidentais. Ou seja, uma situação que seria facilmente resolvida com o bloqueio destas mensagens indesejadas.

É este tipo de situações que a Google quer evitar com o Centro de Segurança Familiar, lançado em fevreiro de 2012, em parceria com seis associações portuguesas ligadas à área da segurança na internet.

“Os pais sentem-se ultrapassados pelos filhos”, constatou Madalena Marçal Grilo, do Comité Português para a Unicef, durante a apresentação do site. A empresa norte-americana aproveitou o Dia da Internet Segura, que se assinalou ontem em toda a Europa, para lançar a plataforma em google.pt/familysafety.

Não se trata apenas de uma compilação básica de dicas de segurança nem recursos de monitorização, mas de um autêntico manual de educação para os pais. O problema costuma estar aqui: como os pais não percebem muito de internet, ou optam por medidas de restrição demasiado duras ou não fazem ideia do que se anda a passar. Ambas as situações são perigosas.

in Dinheiro Vivo, 08fev2012

Veja também:  “Como pode aumentar a segurança do seu filho”





Sabe quem é que está a falar com o seu filho na Internet?

9 02 2014

smiles7142150136448132483

“Sabe realmente quem é que está a falar com o seu filho na Internet?” Esta é a pergunta da campanha que a Innocence en Danger (Inocência em Perigo), ONG francesa acaba de lançar para combater o abuso sexual infantil.

A acompanhar esta pergunta, três emoticons diferentes… Sim, em vez das cores coloridas e aspecto simpático, estes ícones de emoções assumem as faces de homens estranhos de várias idades que sorriem, mandam beijos e mostram a língua.

“Perturbante”, dizem vários especialistas que elogiam a campanha criada pela agência de publicidade  Rosapark, de Paris.

Recorrendo às ilustrações em 3D de Baptiste Massé, a campanha tem o objetivo de alertar para o perigo que pode estar escondido numa conversa online e chamar atenção para a presença de pedófilos na Internet, que escondidos sob falsas identidades nas redes sociais, fóruns, chats, têm um único objetivo – aproximar-se e assediar ou agredir sexualmente crianças e jovens incautos. Ainda esta semana ficou a saber-se que uma investigação internacional, conduzida pela polícia britânica e em parceria com as autoridades dos Estados Unidos e da Austrália, conduziu ao desmantelamento de uma rede de pedofilia que transmitia em direto, na internet, abusos sexuais de crianças nas Filipinas.

De acordo com a Innocence en Danger, uma em cada 5 crianças é abordada sexualmente online, onde, calcula-se, haverá mais de 750 mil predadores.

in Dinheiro Vivo, 17jan2014

Leia também: Saiba como gerir a vida do seu filho na internet





Exposição “Aristides de Sousa Mendes: um exemplo de coragem”

10 12 2013

No âmbito da comemoração internacional do Dia dos Direitos Humanos, a 10 de dezembro e dos sessenta anos da morte do Cônsul de Bordéus, recomenda-se a visita à exposição sobre Aristides de Sousa Mendes.

cartaz_cyberteca

Nesta exposição em BD das Bibliotecas Municipais de Lisboa, evoca-se a figura do cônsul português que, contrariando as ordens de Salazar, salvou dezenas de milhares de judeus, durante a 2ª Guerra Mundial.

Na Biblioteca até 11 de dezembro.





Reciclar é alimentar

21 06 2013

Depois das visitas de estudo às instalações do Banco Alimentar contra a Fome com as turmas 5.º E, 5.º F e 8.º B, a BE dinamizou, ao longo do 3.º período, associou-se ao projeto de responsabilidade ambiental e social da Nespresso – “Reciclar é alimentar”-, para transformar em arroz as cápsulas usadas.

Click to play this Smilebox slideshow
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
 

Apesar de ter sido pouco o tempo que dedicámos a esta causa e de ser preciso investir mais na divulgação e na motivação da comunidade escolar para apoiar esta iniciativa, conseguimos entregar, na Nespresso, 1974 cápsulas usadas e assim doar 25,5 kg de arroz ao Banco Alimentar contra a Fome.

entrega_Nespresso

Com a recolha das cápsulas Nespresso para reciclagem, aproveita-se não só a borra de café para a fertilização de arrozais localizados no Alentejo, cujo arroz, depois de processado, controlado e embalado, tem como destino as famílias e instituições que dependem do Banco Alimentar contra a Fome, mas também o alumínio da embalagem.

arroz

O alumínio é o melhor material disponível para proteger o café de fatores como o oxigénio e a luz solar, que podem comprometer o seu sabor e qualidade. A reciclagem do alumínio produz apenas 5% das emissões de carbono relativamente às produzidas para a obtenção dessa matéria-prima. Por outro lado, a leveza da cápsula permite ainda poupar em termos de transporte e a nível ambiental, comparativamente a outros materiais de embalagens.

cápsulas_recolha

O projeto ‘Reciclar é Alimentar’ está integrado no programa de sustentabilidade da marca – EcolaborationTM – em parceria com a maior associação ambiental do mundo, a União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN), através do qual a Nespresso procura reduzir e melhorar a sua pegada ambiental.