Tamu Massif, o megavulcão

23 09 2013

De acordo com a revista “Nature Geoscience”, uma equipa de cientistas norte-americanos descobriu debaixo das águas do oceano Pacífico o que considera ser o maior vulcão do mundo, do tamanho das Ilhas Britânicas. Este megavulcão, o Tamu Massif, nome que lhe foi atribuído, situa-se na parte noroeste do oceano Pacífico, integrado no grande maciço de Shatsky Rise, a cerca de 1.500 quilómetros do Japão e a dois quilómetros de profundidade. Formou-se há 140 milhões de anos, durante uma erupção de lava que se depositou no fundo do mar, dando forma à atual estrutura que se assemelha  a um escudo. Tem uma extensão de 310 mil quilómetros quadrados e 650 quilómetros de largura.

“O Tamu Massif é o maior vulcão já descoberto na Terra”, explica William Sager da Universidade de Houston (Estados Unidos da América). No entanto, o líder da equipa de cientistas acredita que, muito provavelmente, existem outros maiores que ainda não foram descobertos, também no Pacífico.

A medição do vulcão no Pacífico foi feita a partir de uma embarcação, com recurso ao disparo de armas de ar que criam ondas sísmicas que penetram na montanha subaquática.

001

Anúncios




Livros e surrealismo

7 04 2013

Os livros de Alireza Darvish são o ponto de partida para criar um mundo surrealista em que os leitores e os livros sobrevivem em distintas paisagens e ambientes.

Vodpod videos no longer available.





Dia da Evolução

16 03 2013

dia_evolução

Comemora-se a 16 de março o Dia da Evolução. Se puderes, pede aos teus pais e amigos que te levem a visitar o Pavilhão do Conhecimento em Lisboa. Terás oportunidade de conhecer a resposta a um conjunto de questões relacionadas com o tema da evolução das espécies. Por exemplo:

Como surgiram as plantas do nosso jardim?

Como evoluíram os seres humanos?

Como evolui uma característica exclusivamete humana como a linguagem?

Por que motivo certas espécies se extinguem, enquanto outras florescem?






Alfabeto dos tempos modernos

12 09 2012

Novos tempos, grandes mudanças! Porque a aprendizagem/ o conhecimento não são estáticos!

Este é o tempo dos nativos digitais. Acompanhemo-los!





e … Anatomia de uma leitora

11 09 2012





Anatomia de um leitor

11 09 2012





O que era um livro?

14 08 2012

Esta será, talvez, a questão que muitas crianças hão-de-colocar aos pais e aos professores um dia no futuro. Uma das respostas que lhes poderá ser dada pode assemelhar-se a esta:

“Os livros eram uma espécie de recetáculo onde armazenávamos muitas coisas que temíamos esquecer. Não havia nada mais mágico. A magia está no que dizem, em como uniam os diversos aspetos do universo num único conjunto” (in Fahrenheit 451 de Ray Bradbury).

O romance fala-nos de um futuro onde todos os livros são proibidos por se acreditar fornecerem informações e conhecimentos que tornam as pessoas infelizes, onde as opiniões próprias são consideradas antissociais e hedonistas e onde o pensamento crítico é suprimido. O personagem central, Guy Montag, trabalha como “bombeiro” (no romance o bombeiro não é aquele que combate incêndios, mas é o “queimador de livros”) na companhia 451 (temperatura da queima do papel em graus Fahrenheit (equivale a 223.º C). A partir do momento em que se deixa vencer pela curiosidade e o desejo de ler um livro, não mais consegue voltar atrás: devora livros e transforma-se numa outra pessoa. O seu trabalho deixa de ter sentido e depois de ser perseguido pela corporação que servia por ter livros na sua posse, fugiu para o meio das pessoas livro e tornou-se uma delas. Cada uma destas pessoas memorizava o livro da sua preferência e tornava-se nele, comprometendo-se com este gesto a perpetuá-lo. Na sua mente guardavam os livros e todo o conhecimento do mundo.

Este livro foi transformado em filme, em 1966, pelo cineasta francês François Truffaut. Podes vê-lo e lê-lo aqui: