Se eu fosse um livro

22 12 2011

«Se eu fosse um livro…» é o mote para o início de cada frase.

«Se eu fosse um livro, pediria a quem me encontrasse na rua para me levar para casa consigo.» Assim começa o livro. Esta frase é ilustrada com um livro pousado num banco de jardim e um jovem a olhar na sua direção. Momentaneamente, a dúvida paira nas nossas cabeças. Será que o jovem leva o livro para casa? Talvez!

Mas página após página, deparamo-nos com frases surpreendentes e ilustrações inesperadas, simples e bonitas, que apressam a leitura deste pequeno grande livro.

Se eu fosse um livro é um livro que nos fala de uma relação muito especial: o amor pelos livros. Escrito por José Jorge Letria e ilustrado por André Letria, o livro recebeu o prémio Junceda atribuído pela Associação Profissional de Ilustradores da Catalunha pelo seu “ritmo lento e quente, a poesia e o humor, tudo apoiado por um forte design”.

E tu, o que serias se fosses um livro?





Desafio n.º2- resultados

19 12 2011

Foi difícil este desafio, mas se fosse fácil não tinha graça nenhuma, não é mesmo?

O vencedor é o Bruno Silva do 5º B. Parabéns a todos os que tentaram adivinhar!

Em breve colocaremos novo desafio.

Ficou assim o poema. 

A Raposa

Dizem que é muito matreira,

esperta, astuta, atrevida,

que sabe gozar a vida,

encontrando solução

para qualquer causa perdida

que lhe vá parar à mão.

Olho vivo e concentrado,

segue a sua  intuição

e o seu faro apurado

em busca de refeição.

Na floresta (e fora dela)

é preciso ter cautela;

não basta só esperteza

para enfrentar o dia-a-dia,

convém atenção, destreza

e, claro, sabedoria!





Bom Natal!

18 12 2011

Boas férias para todos vós, com prendas no sapatinho e ótimas leituras!





TEMPO DE NATAL

15 12 2011

Como é hábito entre os povos que celebram o Natal, decoram-se as casas, iluminam-se janelas e ruas, ecoam músicas no ar. A Biblioteca construiu também uma árvore de Natal, para dar mais cor ao seu espaço e assinalar a data. É da autoira da professora Lúcia Pereira; nela foram utilizados lápis de várias cores afiados e agrupados e esferovita.

Ficou muito original; os alunos e professores gostaram muito, tendo elogiado a originalidade e a simplicidade.

Junto à nossa árvore deixamos os nossos votos de Feliz Natal e um Ano de 2012 cheio de boas surpresas.





Where my books go

11 12 2011

Este poema foi escrito pelo poeta Yeats (1865-1939), no fim do século XIX. Yeats é um dos mais célebres poetas ingleses de todos os tempos. Este poema celebra a maravilha e a magia das palavras, e a forma como elas podem encontrar as pessoas onde quer que estejam. É a celebração do facto de que a leitura leva-nos a lugares que nunca teríamos visitado de outra forma. A leitura pode encontrar-nos em qualquer lugar! O poema ficou ainda mais bonito com a música de Chopin e as obras de arte representando o livro e a leitura!

Vodpod videos no longer available.

Where my books go

ALL the words that I utter,
  And all the words that I write,
Must spread out their wings untiring,
  And never rest in their flight,
Till they come where your sad, sad heart is,          
  And sing to you in the night,
Beyond where the waters are moving,
  Storm-darken’d or starry bright.




Novidades de Natal

10 12 2011

Há livros novos na biblioteca, daqueles que apetece folhear, cheirar as folhas, saborear as palavras e ler no quentinho das nossas casinhas! Deem uma espreitadela no vídeo.

Vodpod videos no longer available.





HISTÓRIA DOS DIREITOS HUMANOS

10 12 2011