Por que muda a hora?

30 10 2010
No próximo dia 31 de Outubro muda a hora.
Quem decide que os relógios devem ser atrasados no Outono e adiantados na Primavera? E quem decide que horas são?
Antes de 1884, quase todas as cidades do mundo tinham o poder do seu próprio tempo. Não havia um padrão nacional ou internacional que regulasse o tempo, que dissesse como devia ser contado, que dissesse quando começava ou acabava o dia, ou até mesmo quanto durava uma hora. Como deves calcular, isto causou grandes problemas de comunicação. A solução foi encontrada na International Meridian Conference que decorreu em Washington (1884), que juntou 25 nações, na qual foi decidido que o tempo seria medido a partir da Linha do Meridiano do mundo. Nessa conferência, o Meridiano de Greenwich ganhou o prémio de “Longitude 0º”, pelo que passou a dividir o globo terrestre nos hemisférios ocidental e oriental, e a estabelecer os fusos horários.

A existência de um horário de Verão e de um horário de Inverno foi proposta por Benjamin Franklin, o político e inventor do pára-raios e das lentes bifocais. Em 1784, num artigo publicado num jornal francês, Franklin sugeria que a França adiantasse uma hora no Verão, alegando que Paris poderia poupar anualmente 32 mil toneladas de cera de vela.

Só com a 1.ª Grande Guerra, os Estados sentiram a necessidade de poupar energia. Em 30 de Abril de 1916, a Alemanha e a Áustria mudaram a sua hora legal, introduzindo a «hora de Verão». Três semanas depois, em 21 de Maio, outros países europeus seguiram o exemplo, entre os quais Portugal.  Os governos europeus decidiram, assim, adiantar os seus relógios uma hora, inaugurando a chamada “hora de Verão”. Consequentemente, os dias passaram a acabar mais tarde e menos energia era consumida.

Ao atrasarmos o relógio, terminamos com a hora de Verão e repomos a hora normal do fuso em que vivemos. Com isso, quase todos evitamos acordar ainda de noite e sair de casa antes do nascer do Sol. Anoitecerá mais cedo, mas isso acaba por custar ao país menos dinheiro, pois nessa altura já a grande maioria das empresas industriais terá terminado o seu horário de trabalho.
No início da Primavera adiantamos a hora. Nessa altura para entrar em vigor um desvio à hora normalizada e adicionamos 60 minutos ao tempo de Greenwich. Com esse desvio, voltamos a poupar recursos, pois passamos a acordar mais cedo e a aproveitar a luz da manhã, que aparece igualmente mais cedo. Passamos também a aproveitar a luz de fim de dia, sem ser necessário recorrer à iluminação artificial para preparar o jantar ou para jogar à bola.

Os acertos de hora representam uma poupança de energia considerável, tanto no Verão como no Inverno.

.





Feira do Livro Estrangeiro – 2,3 e 4 de Novembro

30 10 2010

O Departamento de Línguas – Inglês / Francês organiza, mais uma vez, em colaboração com a Livraria Britânica, a Feira do Livro Estrangeiro. O evento tem lugar na BE/CRE e, durante três dias, os alunos poderão visitar a Feirado Livro, acompanhados dos seus professores que os aconselharão a adquirir livros de acordo com as suas competências.

Podes consultar o calendário abaixo e ficares a saber quando visitarás a feira com a tua turma.





EM ESTREIA NA BE/CRE

28 10 2010

Vodpod videos no longer available.

 





Novidades na BE/CRE

26 10 2010

Aqui estão as novas aquisições da Biblioteca.

Vodpod videos no longer available.

 





Exposição Sexo … e então?!

24 10 2010

 

Decorre de 12 de Outubro de 2010 a 28 de Agosto de 2011, no Pavilhão do Conhecimento, a exposição “Sexo … e então?!

Uma entrada ampla em forma de coração abre-te caminho para o terreno onde o amor, a paixão e os afectos dominam. O tema forte é mesmo o sexo e tudo o que a ele anda ligado: o amor e a paixão, os beijos, as palpitações e as declarações. E o corpo: os órgãos genitais e o seu funcionamento, os óvulos e os espermatozóides, as grandes mudanças que ocorrem na puberdade, os contraceptivos e os bebés.

Oriunda de La Villete, a Cité des Sciences, em Paris, onde ao longo de um ano recebeu mais de 350 mil visitantes (algo como mil por dia, em média), a exposição destina-se sobretudo a um público, entre os nove e os 14/15 anos.

Assemelha-se a um enorme desenho animado, com apontamentos de humor, o que contribui para uma aproximação descontraída a esta temática”. Os heróis desta banda desenhada, em forma de exposição, são o Titeuf e a Nadia, dois “miúdos” que se confrontam com os mistérios do sexo no livro Le guide du zizi sexuel, dos franceses Zep e Hélène Bruller.

O humor e a boa disposição estão presentes nesta exposição, transformando as dúvidas e as perguntas da malta nova em jogos interactivos, onde há muito para aprender e para reflectir.

Por isso a primeira área temática é exactamente a do amor. Estar apaixonado, que estado é esse, afinal?

Embora a resposta não seja linear, nesta zona há módulos que ajudam a pensar nisso: no “escurinho do cinema”, uma montagem de excertos de filmes – beijos em série, afagos e olhares, mas também alguns momentos de zanga, o amor afinal tem tudo isso – dá um panorama dessas interacções. Mas há mais. Há uma máquina para fazer declarações, com campos para os nomes  e algumas palavras-chave; há um coração que ao ser abraçado mede a intensidade do amor; um malmequer gigante para jogar ao bem-me-quer, muito, pouco…. e há exemplos de beijos repenicados, intensos…

O resto são áreas temáticas em que as transformações da puberdade, as relações sexuais, a reprodução, os contraceptivos e os bebés dão lugar a uma série de maquinetas, jogos e painéis com desenhos que ajudam a compreender todas essas questões e a reflectir sobre elas.

Sem tabus, como a mostra se anuncia a si própria, são reveladas as transformações que ocorrem nos corpos das raparigas e dos rapazes, quando as respectivas hormonas começam a actuar. Explica-se e mostra-se como ocorre uma erecção, e pode-se experimentar num karaoke de chuveiro as fífias que alteram as vozes dos rapazes nesta altura.

Na área “Fazer Sexo”, decorada como um jardim para criar ambiente propício, Titeuf e os amigos discutem esta questão, que vai sendo explicada nos seus pormenores ao longo de um painel, numa banda desenhada.

Seguem-se os módulos sobre a fecundação do óvulo pelo espermatozóide, o desenvolvimento do feto na barriga da mãe e o nascimento, os contraceptivos e a sua utilização. Há ainda um espaço interdito a adultos, para conhecer sem vergonhas o roteiro do corpo feminino e masculino. O melhor, mesmo, é ir até lá ver. Sem tabus.





MAIS VALE PREVENIR ….

24 10 2010

Algumas turmas do 5.º e 9.º anos assistiram, no dia 15 de Outubro, a uma formação de sensibilização para a coluna e prevenção de dores de costas, no âmbito da campanha Olhe pelas suas costas, promovida pela Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, em parceria com a Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral, Sociedade Portuguesa de Medicina Física e de Reabilitação, Sociedade Portuguesa de Neurocirurgia e Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia. Um médico ensinou-os a arrumar as mochilas, a estar sentado na sala de aula ou à frente do computador e quais as melhores posturas ao longo das fases de crescimento. Deixamos aqui, algumas dicas para aliviares o peso da mochila:

  • Coloca as coisas mais pesadas junto às costas, ou seja, na parte de trás da mochila.
  • Arruma os livros e outros materiais de modo que não fiquem soltos lá dentro, para evitar movimentos de desequilíbrio.
  • Certifica-te de que o material é mesmo necessário para as actividades das aulas
  • Ajuste as alças de modo que a mochila se adapte totalmente às tuas costas, ficando encostada e sem folga. Uma mochila solta, nas costas, pode puxar o teu corpo para trás e forçar os músculos, além de te obrigar a curvar os ombros para melhorar o equilíbrio da pasta.
  • Equilibra o peso entre as duas alças para reduzires os riscos de dores e futuras complicações posturais
  • Apoia o fundo da mochila na curva da zona lombar. Nunca o deixes ficar a mais de 10 centímetros abaixo da região da tua cintura.
  • Nas mochilas com rodas deves ter cuidado com a alça do carrinho e manter sempre as costas em posição direita quando o puxares.

Segue estes conselhos! Lembra-te do provérbio “Mais vale prevenir que remediar”.





Estante moderna e original

23 10 2010

Quem não gostaria de ter uma estante destas a abraçar os seus queridos livros?