Diário da Semana da Leitura – 4 de Maio 2009

31 05 2009

SEMANA DA LEITURA

Semana interessante esta! Sempre repleta de surpresas!

Querem dar uma espreitadelazita ao que se passou na BE/CRE de 4 a 8 de Maio? Registámos o diário da semana.

Além das actividades calendarizadas, aconteceu a 1.ª visita oficial à Biblioteca. Todas as turmas passaram pela BE/CRE  e os alunos ouviram falar das regras de funcionamento e de utilização deste espaço, conheceram as áreas funcionais que a constituem e compreenderam o significado e os postulados da Classificação Decimal Universal (CDU).

10H00

Encontro com a escritora Dulce Gonçalves. Trouxe-nos um livro da sua autoria “O soldadoo soldado que queria ir à guerra”, cuja exibição seguimos com muita atenção e entusiasmo. Encerrou a sua apresentação com um excerto da piada de Raul Solnado “Está lá? É do inimigo?” que delirou os alunos.

Antes de partir, presenteou-nos com um exemplar autografado desta obra. À Dulce de Souza Gonçalves deixamos aqui o nosso muito obrigado e desejamos as maiores felicidades nesta aventura da escrita.

Ao final da tarde, aconteceram “Conto(s) contigo”. Esta actividade foi dinamizada pela professora Susana Tavares, que respondendo ao convite da BE/CRE, levou a turma D do 9º ano, que, no âmbito das Rotinas da Oralidade partilhou leituras feitas e livros lidos.

Anúncios




Diário da Semana da Leitura – 5 de Maio 2009

31 05 2009

10H00

a cabanaA professora Isabel Mendinhos, Coordenadora Local das Bibliotecas Escolares e Coordenadora do CRE do Agrupamento de Escolas Professor Galopim de Carvalho, deu-nos a conhecer dois dos livros que marcaram a sua adolescência: “A cabana do Pai Tomás” de Harriet Beecher Stowe e “Capitães da Areia” de Jorge Amado.


Depois e sem esquecer as celebrações do Dia da Mãe que tinham decorrido no domingo, aproveitou o mote e falou de três livros de Alice Vieira, aos alunos do 6.º E, cujo enredo gira em torno da personagem chave das nossas vidas – a mãe. Apenas na posse do título, os alunos tentaram adivinhar o seu conteúdo. Uns e outros partilharam a sua opinião. Alguns apressaram-se a requisitar os livros. Queriam lê-los na íntegra, agora que tinha sido levantado o véu. E que temas tão actuais!

o casamento


11H45

Cerca das 12 horas, foi o momento de Poesias em Língua Francesa. Em Língua Francesa? – perguntarão.P5050808

Sim. Não se esqueçam que a 9 de Maio se celebra o Dia da Europa. Aproveitámos e sobrepusemos as actividades que tínhamos desenhado para estes dois momentos que, por razões sobejamente conhecidas acabaram por coincidir no tempo. A poesia em Língua Francesa foi da responsabilidade dos alunos do 9.º B e estiveram acompanhados pela professora Elsa Caetano. Foram lidos poemas de Jacques Prévert e Paul Éluard e um excerto de Le Petit Prince, de Antoine de Saint-Exupéry.Um momento diferente, sem dúvida!

15H00

À tarde, assistimos a dois momentos altos da nossa programação: “Livros e Livros” da responsabilidade da professora Marina Cunha e “Cuidado com os Livros!” dinamizado pela Dr.ª Marta Leite, Representante da Associação de Pais e EE da Escola Básica 2, 3 de D. Pedro IV. No primeiro momento, assistimos a leituras partilhadas pelos alunos Cláudia e Gonçalo do 9.º C e do Bernardo Pavão do 9.º D.

morte no niloA Cláudia trouxe-nos um policial de Agatha Christie, “Morte no Nilo”. Conseguiu prender a atenção e manter o suspense da audiência. Excelente! O Gonçalo teve um óptimo desempenho. Apresentou-nos —-

Por sua vez, o Bernardo entusiasmou e surpreendeu com a obra “Supernatural: os poderes ocultos dos animais” de John Downer. Espectacular!

No segundo momento, “Cuidado com os livros!” Cuidado…? Então o que nós queremos é que os alunos leiam e a Dr.ª Marta alerta-os para os perigos da leitura?! Que contra-senso!

NÃO! Nada disso, o que se pretendeu foi promover uma leitura atenta e reflectida dos livros, revistas, artigos online, jornais, que contribua para uma formação crítica e fundamentada da opinião, para a avaliação da validade e da fiabilidade dos textos. A diferença entre facto e opinião foi, igualmente, abordada e experimentada com base na realização de pequenas actividades práticas que propôs aos alunos. Claro está que a participação dos alunos foi efectiva e entusiasmada. À Dr.ª Marta deixamos aqui os nossos aplausos.






Diário da Semana da Leitura – 6 de Maio 2009

31 05 2009

Quarta-feira, 6 de Maioler

Durante a manhã, aconteceram visitas à Biblioteca. Várias foram as turmas que por cá passaram e que tiveram o primeiro contacto com o novo espaço.

14H10

E, porque a Língua Inglesa é a língua oficial da Europa, nesta semana dedicada à Europa e à Leitura, não a podíamos ignorar. Por isso, às 14H10, foi a vez do English Drama Club enriquecer esta semana. O apresentador do 6º M, Nuno Gomes, introduziu o autor  Edgar Allan Poe  e as colegas Júlia Eduarda e …que declamaram o poema “The Bell ” e outro do mesmo autor.  Estes alunos frequentam o clube acima referido e possuem um “British accent” de fazer inveja. A elas e ao professor Álvaro Gonçalves que, por incompatibilidade horária, não conseguiu acompanhá-los endereçamos os nossos parabéns! THANKS A LOT!


16H00

P5060853O professor Rafael Gomes trouxe-nos “A rua” e levou-nos até à rua. A rua, entendida como espaço público, espaço de encontro cada vez mais longe das vivências dos nossos jovens. Com o 5.º H, falou-se deste espaço mágico do ontem e do hoje. Falou-se de ontem do jogo da bola na rua, das corridas dos carrinhos de rolamentos, dos skates improvisados, do jogo do berlinde…Intervenção mágica, também, pela participação que promoveu, pelas ideias e experiências trocadas, pela satisfação estampada nos rostos dos que assistiram.

Os livros que estiveram  em cima da mesa e foram mote para a grande conversa são: “A malta da Rua dos Plátanos” de Garcia Barreto, passado na Amadora durante os anos sessenta; “Os esteiros” do neo-realista Soeiro Pereira Gomes, sobre as crianças de Alhandra que trabalhavam nos braços do Tejo a amassar a lama para o fabrico de tijolos; “Salão Portugal” do Vitor Serpa, Director do jornal a Bola, sobre as histórias das crianças e personagens típicas do Bairro da Ajuda. Como curiosidade, o professor Rafael referiu que Salão Portugal era o nome do antigo cinema da Ajuda  e é hoje  a actual sede do Comité Olímpico Português;   “O Mundo” que tem como sub-título “O Mundo é a Rua da nossa infância” do Millás que o inspirou para falar neste tema dos meninos de rua e que  aconselhou  vivamente a lermos; “Histórias do fim da rua” do Mário Zambujal, sobre personagens duma rua típica de Lisboa. Deste último, o professor seleccionara   um trecho que não chegou a ler, porque a conversa sobre os livros esteve boa demais e não houve tempo!

esteiros

Ah, o professor falou-nos, ainda, do livro de Ruy Castro “Era no tempo do rei“,  cujos heróis são o príncipe D. Pedro (sim, o  patrono da nossa escola!) e o seu amigo Leonardo, um menino de rua, ambos com 12 anos. Os dois garotos endiabrados tomam a cidade de assalto, envolvendo-se nas mais empolgantes aventuras…

Ficou, por certo,  a vontade de ir ler todos estes livros!

Obrigada professor Rafael Gomes!





Diário da Semana da Leitura – 7 de Maio 2009

31 05 2009

10H00

semancartaz“Leitura à desgarrada”. As professoras Natividade Sobral e Odete Almeida trouxeram-nos um momento de poesia: “Ser poeta é” de Florbela Espanca. Falou-se de poesia, leram-nos o poema a duas vozes, leram-no à desgarrada e, cantámo-lo com Luís Represas. Seguiu-se um momento de conversa sobre o que é ser poeta, que ferramentas e que matérias usa para trabalhar. A partir de leitura do texto “Limpa-palavras” de Álvaro Magalhães, envolveram-se os participantes num jogo de descoberta – palavras pesadas, palavras leves, reflectindo sobre as suas características, os sons ou gestos que lhes associamos. Por fim, e antes de os devolvermos ao Director de Turma, propusemos-lhes a continuação do jogo, agora com a descoberta de palavras cristal e palavras punhal. Este seria também o mote para uma sessão de Formação Cívica. A que conclusões terão chegado? Aguardamos com ansiedade os seus trabalhinhos.

11H45

A professora Isabel Gomes trouxe a música à Biblioteca. Música e leituras, uma dupla feliz e sempre bem sucedida. “O Pedro e o Lobo” foi o tem escolhido. Fez-se silêncio. Não se ouviu cantar o fado, mas ouviram-se os acordes musicais, elevaram-se os espíritos ao som das notas musicais. Como é grande o poder da música!

12H30

Chegou, depois, a vez do 5.º D que nos propôs uma viagem ao Cabo das Tormentas. Das Tormentas? Sim. O “Mostrengo” de Fernando Pessoa foi o poema que dramatizaram e nos apresentaram. Que grande azáfama nas aulas de Estudo Acompanhado. E pensar que tudo começou, quando o Tiago Pereira falou de Fernando Pessoa. Foi a deixa para o estudo biográfico deste grande nome da Literatura Portuguesa e para o trabalho exaustivo deste poema.

O trabalho nas sessões de Estudo Acompanhado foi grande, pois estavam decididos a mostrar aos outros colegas o belo poema de Fernando Pessoa. Assim, e com a ajuda dos professores Jorge Eusébio e Marília Valério, escolheram-se os actores, o guarda-roupa (a t-shirt da escola ), os slides e a música. Aguns ensaios depois estavam prontos a mostar aos outros o trabalho. Foi o que aconteceu, no dia 7 de Maio, na BE/CRE  e a plateia presente constituída por alunos do 5º E  e alguns professores  não lhes pouparam aplausos.
Bravo 5º D!


13H25

Os alunos da Magia dos Sons surpreenderam-nos com a belíssima apresentação que estrearam na inauguração da biblioteca: a leitura a cinco vozes do texto —. Espectacular! Parabéns!

Demos depois a palavra à Presidente da Junta de Freguesia de Monte Abraão, Dr.ª Fátima Campos. Falou-nos do papel importante deste órgão de poder local na promoção e divulgação de talentos locais na área da produção literária; falou-nos na importância da leitura para a formação de cidadãos activos e, responsavelmente, participativos e interventivos na vida política do País. Deixou-nos uma mão cheia de jornais locais, defendeu o jornal como o meio de comunicação mais usado para dar conta das realidades da freguesia e do município.

14H10

Mais um momento alto: a dupla Dr.ª Sara Leite e Sandra — dinamizaram a actividade “Porque a leitura nem sempre ajuda: dúvidas e dilemas em Língua Portuguesa”. De situações ortográficas que levantam mais dúvidas, passou-se a uma verdadeira caça ao erro. Que bons detectives temos! Atentos à projecção de imagens reais, recolhidas pelos 4 cantos de Portugal, e em livros infanto-juvenis editados e disponíveis no mercado, os alunos revelaram-se excelentes detectives. Nada lhes escapou! Oxalá, possam contribuir para a arte de bem escrever!





Diário da Semana da Leitura – 8 de Maio 2009

31 05 2009

10H00

Para terminarmos a Semana da Leitura tivemos connosco o sempre simpático e bem-disposto José Fanha. A ele Fanhareuniram-se cerca de 90 alunos, sete de cada uma das turmas do 2.º ciclo. Ouviram-no falar, entrevistaram-no, leram para ele.

“A noite em que a noite não chegou” foi o passaporte do escritor para a visita à nossa escola. Constitui-se como uma colectânea de textos sobre situações universais e sempre actuais, aqui abordadas de forma risonha, por vezes, bizarra: a vitória do Bem sobre o Mal, o crescimento e as transformações físico-emocionais, a diferença e a igualdade, a celebração da vida, o valor das palavras, a solidão, a teimosia, o inconformismo face à própria condição.

Uma semana excepcional que vai ficar no lado doce das memórias de todos os que participaram e tiveram a sorte de estar presentes!





Pelo sonho é que vamos… / n.º 19 Resultados

31 05 2009

Pelo sonho é que vamos …            Resultados passatempo n.º 19

O vencedor deste passatempo 19, que foi muito participado, é o Bruno Figueiredo que escreveu o seguinte comentário:

” Ponto de encontro”

Parabéns ao Bruno e atodos os comentadores em serviço! Excelentes comentários, mas só um pode ser o vencedor!





A maior flor do mundo de José Saramago

30 05 2009

Por volta dos anos setenta  José Saramago, o nosso Prémio Nobel da Literatura, foi desafiado pelo seu editor para escrever uma história para crianças. Para Saramago que não se achava “…nada certo de poder desobrigar-me dignamente da encomenda, por isso, além da história de uma flor que estava a morrer à míngua de uma gota de água, fui-me curando em saúde pondo o narrador a desculpar-se por não saber escrever histórias para a gente miúda, a quem, por outro lado, diplomaticamente, convidava a reescrever com as suas próprias palavras a história que eu lhes contava…”  a escrita de “A maior flor do mundo”   veio a revelar-se uma agradável surpresa.  Uns anos mais tarde, a história foi reeditada e o sucesso surgiu “…agora com a bênção das extraordinárias colagens que João Caetano fez para a nova edição e que contribuíram de maneira definitiva para o seu êxito. Milhares de novas histórias (milhares, sim, não exagero) foram escritas nas escolas primárias de Portugal, Espanha e meio mundo, milhares de versões em que milhares de crianças demonstraram a sua capacidade criadora, não só como pequenos narradores, também como incipientes ilustradores…“.

A Maior Flor do Mundo, baseada no conto de José Saramago surge, agora, na linguagem cinematográfica de Juan Pablo Etcheverry  e recebe o prémio de Melhor Curta-Metragem de animação e ficção do Festival de Cinema Ecológico das Canárias.

Deliciem-se a ver!

E que tal fazerem uns belos desenhos alusivos à história para enfeitarmos a BE/CRE, na Semana do Dia da Criança?

informação recolhida in “O caderno de Saramago”