É fim-de-semana…

28 02 2009

Passatempo n.º 9

Cá está, de novo, uma tira da contestatária Mafalda. Aguardamos os vossos comentários. Não se esqueçam de se identificar.

mafaldinha





Pelo sonho é que vamos…

28 02 2009

Passatempo n.º 10

Já está! Que lindo, não é?

Faltam os vossos comentários! Vamos lá, têm até à próxima sexta-feira para participar no passatempo. Os prémios serão entregues, em breve, na inauguração da nossa BECRE!

biblioteca





Convento do Carmo – Ruínas

28 02 2009

E que tal aproveitar o dia e ir passear até Lisboa?

Quem mora na linha de Sintra pode ir de comboio até ao Rossio, subir até ao Convento Carmo, aproveitar para fazer uma visita ao museu, que possui um rico espólio arqueológico  pré-histórico, romano, visigótico e medieval e, de seguida,  apreciar a maravilhosa vista de Lisboa no Elevador de Santa Justa.

carmofoto de Américo Simas

“Mandado construir em 1389 pelo Condestável D. Nuno Álvares Pereira, o Convento da Ordem do Carmo ergue-se numa posição privilegiada, sobranceira ao Rossio (Praça de D. Pedro IV), e próxima ao morro do Castelo de São Jorge.
A igreja do convento, que já foi a principal igreja gótica de Lisboa, ficou em ruínas devido ao Terramoto de 1755 e é uma das principais marcas deixadas pelo terramoto ainda visíveis na cidade. O convento eventualmente passou a ser uma dependência militar e, durante a Revolução dos Cravos, foi no quartel do Carmo que o Presidente do Conselho do Estado Novo, Marcelo Caetano, se refugiou dos militares revoltosos. Actualmente as ruínas são sede do Museu Arqueológico do Carmo.”

in Guia da Cidade





Escritor do mês na Cyberteca – Fevereiro 2009

24 02 2009

E o vencedor do passatempo é…

a Luísa Marques da TURMA 6º I!

A Luísa foi a primeira a responder acertadamente às duas perguntas que foram colocadas e ganha, pela segunda vez consecutiva, este passatempo(A Luísa foi também a vencedora no mês de Janeiro)!

Autor: Alves Redol

Livro: A vida mágica da sementinha

“Post on line” e, de imediato, o comentário certeiro da Luísa. Muitos parabéns!

Um grande  aplauso para ti, por seres uma leitora tão atenta do nosso blog.





Eu já li e recomendo a leitura…

22 02 2009

Título: Uma aventura no supermercado

Autor: Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada

Eu gostei muito deste livro. Apesar de ser “grande”, cria entusiasmo  no leitor e acabei por ler o livro todo, a sério!

Adorei a parte em que o homem do supermercado saiu do seu esconderijo e mostra a seringa para dar uma vacina ao Pedro e à Teresa.

Adorei o livro que li!

Caio, 5º D





Elevador do Lavra

22 02 2009

E que tal aproveitar o dia de sol domingueiro, ir passear até Lisboa e andar no eléctrico mais antigo de Lisboa?

O Elevador do Lavra fica situado na Calçada do Lavra, em Lisboa e é propriedade da Companhia de Carris de Ferro de Lisboa.

Inaugurado a 19 de Abril de 1884, tem mais de 120 anos de existência. Sobe uma encosta onde se destacam os prédios setecentistas, ligando o Largo da Anunciada (a este da Av. da Liberdade) e a Travessa do Forno do Torel, numa extensão de 188 metros.

O funicular foi construído pelo engenheiro português Raoul Mesnier du Ponsard.

É o elevador em funcionamento mais antigo de Lisboa e, no início, cada viatura tinha capacidade para 24 passageiros.

Encontra-se classificado como Monumento Nacional desde Fevereiro de 2002.

Chegados ao cimo da encosta é só caminhar até ao jardim do Torel onde podem admirar a magnífica vista de Lisboa!

Não se esqueçam da máquina fotográfica!

Nota: Funicular é um carro de cabos que circula sobre carris.





Museu da Carris – visitas guiadas

21 02 2009

Ora aí está outra maneira de passar o Carnaval!

21 Fev | 15h


“Integrado nas comemorações do décimo aniversário do Museu da CARRIS, vão sair à rua, sábado,museu-carris1 dia 21, três carros eléctricos antigos deste Museu, que contarão com a presença da Olisipógrafa Marina Tavares Dias, a qual efectuará uma “visita histórica guiada” no percurso da carreira 15 de Eléctricos.

Às 15 horas, o passeio dos eléctricos históricos 2, 535 e 802 sai de Santo Amaro rumo à Baixa, indo, depois, a Belém com regresso a Santo Amaro, deixando para trás uma viagem que promete ser inesquecível.

Qualquer interessado pode embarcar num dos três eléctricos históricos, apenas mediante o pagamento do bilhete de ingresso no Museu, podendo, assim, passar uma tarde diferente, passeando em veículos com largas dezenas de anos, fazendo uma verdadeira viagem na história.”

in Agenda Cultural da Câmara Municipal de Lisboa

O ingresso inclui visita ao Museu da CARRIS e passeio.
Desfile de três eléctricos antigos do Museu da CARRIS.
Passeio organizado até ao limite da lotação de cada veículo!

Boa Viagem!

Nota: Olisipógrafa é o nome dado aos historiadores de Lisboa.





LER AJUDA A CRESCER

20 02 2009

ler_ajuda_a_crescer2

“Ler ajuda a crescer” foi o nome dado ao passatempo lançado às escolas, no 1.º período,  pela Civilização Editora. Para participarem, as escolas deveriam escrever uma redacção sobre o tema “Ler ajuda a crescer” e enviá-la para a morada indicada no Regulamento respectivo,  até 30 de Dezembro.

Na nossa escola, a Professora Susana Tavares respondeu ao desafio que lhe propusemos: em sala de aula, colectivamente, a turma redigiu esta redacção que enviaram. Apesar de não ter sido apurada, com a sua participação a Biblioteca da Escola irá receber um livro. Aos pequenos escritores e à professora Susana aqui deixamos o nosso muito obrigado.

Aqui vos deixamos a redacção enviada:

Ler ajuda a crescer

Mariana, uma menina com 11 anos, vivia com os seus amigos Guilherme, Rita e Bernardo na cidade da Leitura onde todos adoravam ler. Do outro lado do mundo era a cidade dos não leitores.

Mariana e os seus amigos formavam um grupo de leitura fantástico.

Certo dia foram à biblioteca e constataram que não havia mais livros. Decidiram então partir numa nova aventura à descoberta de novos livros e conhecer novos lugares.

Foram a um local isolado rodeado de uma densa floresta. “Boca do Inferno” era o seu nome. Lá encontraram uma bruxa que os convidou a ir a sua casa. Estava a anoitecer, por isso aceitaram.

– Que bom! – afirmou a bruxa Cruel.

– Sabe de algum caminho para encontrar novos livros? – perguntaram eles.

A bruxa indicou-lhes o caminho e, logo de manhã, partiram.

– Não quer vir connosco? – convidaram-na.

– Não. Tenho que ir apanhar fruta, por isso não vos posso acompanhar.

– Está bem. – disseram eles.

Começaram a andar e arrependeram-se de ir por aquele caminho, era longo e estava cheio de picos. Quando já estavam a meio do caminho começaram a ter a ilusão de ver livros. Estavam enfeitiçados e tão cheios de fome que até queriam comer os livros que viam e caíram na boca de um dragão. Após longas horas, o dragão teve uma grande diarreia e ficou horas e horas na sanita. Quando o grupo saiu, escorregou pela sanita e foi por vários canos sujos e estreitos.

Foram parar a um lago cheio de piranhas, cobras, enguias eléctricas e caranguejos que lhes picavam os pés. Começaram a nadar e só pararam numa praia onde construíram um barco para se irem embora. Já anoitecera e decidiram partir no dia seguinte. Procuraram abrigo numa gruta. Os rapazes foram pescar o jantar: “sushi”.

Bhhhh! Que nojo! – reclamaram elas – Não somos chinesas!

– JAPONESAS! Querem vocês dizer! – corrigiu o Guilherme.

Depois de jantar fizeram uma cama de folhas e adormeceram. No dia seguinte estavam prontos para partir. Içaram as velas, Comandante Bernardo ao leme, e lá foram.

– Parecemos piratas ?! – exclamou Rita.

Dizendo isto apareceu um grupo de piratas. Tiveram de lutar com eles com toda a sua força, mas não tiveram sorte, pois Mariana e Bernardo foram presos e, claro, o resto do grupo não conseguiu vencê-los, tendo acabado prisioneiros também. Enquanto estavam presos no barco, viram que os piratas também adoravam ler e tinham uma grande biblioteca. O grupo planeou a fuga perfeita e, com sorte, ainda levavam alguns livros.

Ao anoitecer a Mariana gritava por socorro, o Guilherme tentava soltar-se com a ajuda do Bernardo. Rita, como sabia Karaté, aproveitou e mostrou-o. Quando já estavam cá fora suspiraram de alívio. Encontraram um barco vazio e rumaram a Cabo Verde onde se instalaram num hotel de luxo. Lá encontraram dois bandidos que lhes roubaram tudo e ficaram tão zangados que os perseguiram. O que encontraram foi muito mau: drogas. Claro que falaram com eles e explicaram-lhes os malefícios da droga. Eles compreenderam e juntaram-se aos quatro amigos. Os seus nomes eram Jorge e Gabriel, boas pessoas que só estavam no mau caminho.

Os quatro amigos tiveram muito trabalho em os ensinar a ler e a escrever, pois eles não sabiam, mas logo se entusiasmaram. Decidiram juntar-se a eles. Depois de terem passado por todas estas aventuras, sem terem reparado, estavam na meta final. No entanto, ainda faltava a última etapa, a pior, a feroz, a mais temida e a menos vencida. Prepararam mapas, segundos caminhos, mas não sabiam como passar aquela etapa. Não desistiram, nem pensar! Iam lutar até ao fim. Foram caminhando, até que chegaram. Cada um dos seis teve de seguir um labirinto. Seriam eles capazes de chegar ao fim? Na última fase tiveram que lutar com os seus amigos. Jorge e Gabriel queriam tanto passar que começaram a lutar. O que é triste é que deviam ter feito ao contrário, por isso Jorge e Gabriel foram eliminados. Com tristeza os outros seguiram em frente.

O prémio final era um monte de livros, que levaram para a sua terra. Com muitíssima surpresa os seus dois amigos estavam lá.

Todos decidiram ser escritores e hoje são mundialmente famosos.

 

Esta história serve para motivar as crianças e dar-lhes a entender que a infância pode dar um livro.





É fim-de-semana…

20 02 2009

Passatempo n.º 8

Regista o teu comentário sobre a tira de BD.

Não te esqueças de colocar o teu nome e turma.


cal







Pelo sonho é que vamos!

19 02 2009

Passatempo n.º 9

Estranha, mas divertida, não acham?  Trata-se de uma pintura de Jim Warren, uma lenda viva do mundo da arte.

Vamos lá comentar e aproveitar a interrupção do Carnaval para navegar na Cyberteca e Ler +!!!

boca1